2.8.13

Pra quem quiser rememorar como eu era

Antes de me tornar jovem senhora, importei o blogue antigo (até 2003): :: Menina do Didentro ::.  Caramba, era péssimo. E eu era tão (mais) bocó.  Tem muita coisa faltando - por exemplo, não tem as figurinhas. Mas já é algo. 


Aí, acho isso, num dos últimos posts que fiz:
Meu nome é Ione, sou advogada, descendo, pelo ramo materno, de japoneses legitimamente vindos em lindos e grandes e poderosos navios vindos diretamente do Japão, moro em São Paulo. Sou asseada, tenho bonita caligrafia, muito caprichada mesmo, sou pequenina, de óculos e cabelo juquinha. Gosto de passear em domingos ensolarados e de tomar caipirinha de saquê com kiwi. Prefiro Coca light a água. Adoro jiló e comidinhas feitas por outros descendentes de legítimos japoneses (ou quem tenha com eles aprendido a cozinhar). A comida da minha mãe é também uma coisa de doudo, se me perguntar. Sou torcedora do São Paulo. Tenho compulsão por livros (não, você não entendeu: compulsão). Gosto de cheiro de livraria. Recebi educação clássica, que incluía aulas de ballet e piano. Falo inglês fluente, quero aprender italiano.
Aprecio boas maneiras, asseio também, cavanhaque, um bonito sotaque, e conversas interessantes. Filosofia, piadas que de fato me façam rir. É preciso que você, moço bom, saiba dizer qual é sua poesia preferida. Se não for advogado, melhor -- há coisas mais interessantes nessa vida que medidas cautelares e ações de reintegração de posse ou jurisdição voluntária. Mas se for, não é critério que o elimine. Gostar de futebol é imprescindível. Se jogar, então, ficarei ainda mais feliz. Cinema, então, nem comento, esse critério elimina: esteja atento. Se você usar meia branca com sapato escuro, não se dê ao trabalho. Havendo barriga de tanquinho, eu passarei você pra frente da fila. Entre em contato! Não prometo felicidade eterna, mas pelo menos momentos de muitas risadas.
Engraçado citar-me a mim mesma. Tira: ser advogada, que no momento não estou. Tira: cavanhaque, que promovi a barba.  Repare que eu era bem menos exigente na época. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário