9.8.13

Juro

Que demorou tipo um hora pra passar a taquicardia que não me deixou ODIAINTEIRO hoje. Muito estresse. Muito, mas muito! estresse hoje no trabalho. Fiquei no ônibus quase respirando dentro de saquinho de papel porque eu trabalhei o dia inteiro e mais 4 pessoas trabalharam o ia inteiro num projetinho que deveria ser simples e indolor SE as pessoas se dignassem a ler meus emails e seguir minhas instruções. Que ninguém quer, porque ninguém quer fazer nada que faça sentido.


Acho que minha chefe está com câncer de novo. Ela quase chorou no telefone quando eu liguei (20 vezes por 20 minutos) pra falar que eu não tenho a menor condição de  ficar fazendo papel de mãe de marmanjo pra segurar na mãozinha de advogado e mandar  ter responsabilidade pelo que faz...ZZZZZZZZ. Tadinha.  Depois ela me falou que quer me promover ano que vem, que o pessoal do escritório está super a favor, que acha que CONQUISTAREI O MUNDO, sendo que. Gentê - eu tenho coração. Talvez um pouco peludo, mas tenho. A voz ficou assim quebrandinho e ela disse que tinha recebido uma ligação difícil e não faz muito tempo ela foi fazer uns exames.

AGORAGUENTA CORAÇÃO SANGRANDO.

(Tô com essa mania agora de escrever com maiúsculas para demonstrar ênfase.)


Eu termino o chat com meu irmão (o que é igual a mim, ou melhor, ao contrário - eu sou igual a ele) agradecendo por ser irmão ótimo e amado e ele me responde com reticências.  Meu irmão não aguenta declaração de amor. Por isso eu faço todas as vezes que falo com ele.

Amanhã vou cortar o cabelo pra ficar mais juquinha, vou ao correio e absolutamente tenho que passar uma meia dúzia de camisas. Tomara que minha amiguinha senhorinha esteja em casa pra eu pode ir lá tomar café - eu não faço mais em casa porque acho desperdício fazer café pra um só. 

O Chazão está aqui deitado do meu lado, num tapetinho de banheiro, porque ele não deita no chão duro, mascando um ossinho que dei pra ele. Eu fico falando que ele é o bicho mais lindo do mundo, ele para, olha pra mim com esses olhões, abana o rabinho, e eu morro de fofura.

Sem mais,

Nenhum comentário:

Postar um comentário