24.3.10

Paixão fingida - Terceiro episódio

Trim-trim-trim -- quem disse que telefone vai ring-ring? Telefone de gringo que faz esse barulho. Deixo tocar um pouco mais, saio correndo do banho. Nunca ninguém me liga, mas quando liga, invariavelmente eu estou no banho ou usando a conexão discada, de maneira que eu nunca sei se alguém de fato me ligou, porque nunca consigo atender. Ou seja, prefiro achar que as pessoas me ligam mas não conseguem falar comigo. Corro em pequenos saltitos, a toalha não impede que corra água para o chão:

-- Alô?
-- Ione?
-- Eu. Quem é? -- eu sabia que era o Sujeito, mas tinha que manter a pose.
-- Oi, é o Sujeito. Está ocupada? Pode falar?
-- Não, pode falar -- eu minto descaradamente.
-- Vamos fazer alguma coisa?
-- Hm, acabei de voltar do italiano. Tô pregada.
-- Que pena. Você já jantou?
-- Comi qualquer coisa na rua -- menti de novo. Se eu comer antes do italiano, só pode ser besteira. Besteira engorda. Logo, eu não comi na rua.
-- E amanhã?
-- Amanhã pode ser. 
-- Ione, quando eu cheguei em casa hoje, tinha um passarinho pousado na minha varanda.
-- É sempre bom receber visitas, né, Sujeito?
-- Eu mostrei pra minha mãe, apontei com o dedo o passarinho na varanda. Ele cantava.
-- Ela gostou?
-- Ela não viu. Nem escutou o passarinho cantando.

Acho que gosto mesmo desse Sujeito. 

(7 de fevereiro de 2003)

Um comentário:

  1. oxe mulher que coisa esquisita, pedi pra ela colocar um creditozinho também... que num custa nada, né...!

    beijo pra tu :*

    ResponderExcluir