25.3.10

Fico muito triste quando não tem pergunta pra mim


Ontem um cliente pro qual eu mando cartas em envelopes que lambo, foi me ajudar a responder um questionário que advogados em um caso conjuminado mandaram pra nós. Tipo estrela da vida inteira, perguntam de um tudo nessa vida, coisarada que eu não tenho como responder porque nunca ninguém perguntou pra ele e não tem na nossa pasta. Liguei pra ele pra pedir pra ele vir ao escritório e cometi a maior gafe no mundo de falantes de espanhol. Chamei o cliente pelo primeiro nome. Ui. E segui o bonde, mas usando usted. Pelo menos. É muito triste me ver falando espanhol. Porque falo melhor que meu tchefe (que só chegou até o presente do indicativo e fala com super sotaque), mas acho que de autoelogio, só dá pra dizer isso mesmo. Fico muito incrível de ver que falo melhor inglês que espanhol. Enfim. Cliente veio me ajudar, chegou apenas 2 horas atrasado e não deu tempo de perguntar nada pra ele. Mas pedi desculpas por ter chamado pelo nome e não pelo sobrenome. Ele achou fofo e agora somos melhores amigos. :) 

A dona dos pãguis cancelou o jantar que a gente tinha marcado pra esse domingo. Terceira vez. Sendo que dessa última vez, ela que escolheu a data, olhando na agenda e tudo. Sabe, gente?, a pessoa tem agenda pra marcar os vários compromissos sociais. Super desisti. Acho que ela está, delicadamente, me dando diquinhas de que não rola. Minha amizade seguirá sendo platônica, mas como ela é babá de cachorro, acho que Chazão vai ficar com ele na semana em que o Menino Mais Lindo do Mundo e eu estivermos ambos no Brasil. Vai ser uma relação estritamente de negócios. A gente não quer que o Chazão fique meguinfeliz. Ele adora essa moça (eu também, ai - rarrarrá, não tem como eu pra fazer um draminha) e até abana o rabo pra ela. Nem por nós ele demonstra esse amor. Aí, plano B, arrumei outro potencial amigo. Um carinha que quer treinar falar português. Achei no classificado na internete. Mandei e-mail, ele respondeu me perguntando quando eu posso. Olhei na minha agenda, pra não haver conflito com meus outros compromissos sociais, e respondi que qualquer dia depois do trabalho ou até fim-de-semana. E agora ele sumiu. Depois vou ligar, mas fico naquela indecisão porque não quero ser stalker brasileira. Vai ver ele só sabe falar português e não entendeu o que eu escrevi (meio em inglês, meio em português). Ou ele sentiu a vibe de desespero: Preciiiiiiiiso. De um amiiiiiiiiigo. Pra chamar. De meeeeeeeu.

Momento glamour: vamos pra Nova Iorque no sábado pra ver a exposição de quadros da minha tia, que chegou na segunda. A versão menos glamurizada é que minha tia está aqui e tem um quiosquinho /stand de artistas brasileiros nessa exposição. Ela incluída. Acho. Depois conto. Ela não deixa de ser chique.

2 comentários:

  1. Poxa Ione,

    eu me candidataria a sua amiga se morasse ai na Filadélfia. Te acho tão fofa, inteligente, gentil e divertida.
    Há anos te leio, mas sempre fico quietinha no meu canto.
    Eu tenho pergunta pra fazer, vou lá no seu formispring.
    Beijo grande,

    Clara

    ResponderExcluir
  2. Clara, minha flor, que lindo. Meu coraçãozinho bate feliz com as declarações de potencial amizade de gente que me lê quietinha.

    <3

    ResponderExcluir