22.3.10

Em feveireiro ainda estava fazendo frio:

Tentei fazer as figurinhas ficarem no meinho mas não consegui. Me encheu os pacová e desisti e vai ficar feio mesmo. Fevereiro foi um mês frio -- ontem estava calor: saí de Havaianas e bermuda durante o dia. Terminei a trilogia do Brent Weeks que  foi ficando cada vez mais fantasiosa e dependente de mágica. Aí foi me dando um cansaço e, bom, li tudo porque não dá pra ficar sem terminar. Saudade do Kyler, o personagem principal: um matador com coração bom. Ui. *Suspiros*. É que, especialmente o terceiro livro, foca muito nos outros personagens e vira meio que Sr. dos Anéis, no sentido de que a gente vai acompanhando a história por diversos ângulos. O que não é ruim (vide o Senhor dos Anéis ou o GGRM), mas é que os outros personagens não me interessavam muito.

Teve também esse livro do Declan Hughes, bem Sessão da Tarde. Se você me perguntar detalhes, não vou lembrar, mas a história é ouquei. Escolhi esse porque o autor ganhou prêmio de melhor livro ou  autor, não lembro, de mistério. E porque a história é na Irlanda e eu volta e meio tento ler histórias na Irlanda e Inglaterra, porque os autores de lá têm um estilo diferente de escrever. Tipo a moça que escreveu  In the Woods: muitos coraçõezinhos. Também teve mais Connelly e atire a primeira pedra e levante a mão quem é capaz de não gostar do Harry Bosch, o detetive personagem principal de um monte de livros do Connelly. Amo. Porque vou seguindo como se fosse seriado.

Dennis Lehane escreveu um pouco pra série da HBO, The Wire, que é beeem legal. Aí peguei dois livros de dois autores da série. Um chamado Lush Life, do Richard Price, que eu não consegui ler por causa da linguagem, bem de rua, e do ritmo, meio televisiva demais pra mim. Esse livro do Dennis Lehane, na verdade, tem duas histórias: A drink before the war e Darkness take my hand. Dois investigadores particulares tem uma agência com escritório numa sala emprestada em Boston. Patrick Kenzie e Angela Gennaro são amigos de infância. Claro que ela é linda, claro que ele é gostável, claro que já tiveram um algo mais no passado. Agora ela é casada com outro amigo de infância, um alcoólatra que bate nela. Lógico que tem um romancezinho pra gente torcer. O força bruta da história é outro amigo deles de infância, que amamamamama os dois, um sujeito envolvido com tráfico de armas e bem criminosão. Também é Sessão da Tarde, mas como eu gosto de seguir personagens e tem mais livros com o PK e a AG, fui lendo. 

E aí, aimeudeus, voltei a ler fantasia. Essa trilogia da Robin Hobb (sou muito fã), Soldier Son (O filho soldado), conta a vida do Nevare Burvelle, um menino cujo pai era soldado mas agora faz parte da nova nobreza. O primogênito de um nobre vai ser o herdeiro das terras, o segundo, soldado, o terceiro, padre. As meninas, claro, casam-se com rapazotes que tragam vantagens político-econômicas pra família. O pai do Nevare resolve treiná-lo desde criança. Como parte do treinamento, ele passa uns dias com um ex-guerreiro de um povo que antes usava mágica, mas que foi conquistado pelo rei. E tem uma experiência xamânica. O primeiro livro é basicamente sobre isso. O segundo, Forest Mage, é sobre o Nevare na academia de cavaleiros, em que ele começa a sentir mais fortemente os efeitos da mágica com que entrou em contato quando teve a experiência xamânica. Os livros, juro, parece assim uma mistura de fantasia com Dickens. Não acontece muita coisa e é muito rico em detalhes. E são compriiiiidos. Amei com mil coraçõezinhos. Do terceiro não vou falar nada porque eu li em março, então você vai ter que esperar mais um pouco. :)


Menina's book montage

The Black Ice
A Drink Before the War/Darkness, Take My Hand
Beyond the Shadows
The Wrong Kind of Blood: An Irish Novel of Suspense
Forest Mage
Shaman's Crossing
Shadow's Edge


Menina's favorite books »

Nenhum comentário:

Postar um comentário