9.7.09

Dia 12 - Tô roubando no pacto, mas olha que receita legal

Essa a Palmirinha não conhece. Minha mãe faz sempre e a única coisa que eu faço de diferente acho que é deixar raiz de lotus de fora. Não sei como chama, eu chamo de cozidão japonês de inhame. Porque eu sou muito criativa. Olha que facinho.
 
Numa panelona, coloca água suficiente pra cobrir o tanto de inhame que você quiser cozinhar e tomates cortados em pedaços grandes.
Ioney, eu sou muito sem noçã, o que é inhame? Inhame é tipo uma batatinha peludinha que, segundo a minha mãe,  faz bem pro sangue. Quando descascadas e cruas, elas são branquelas e meio pegajosas, mas depois de cozidas são as coisinhas mais macias que já habitaram suas panelas. A gente descasca tudo e lava e se forem grandes, a gente corta em pedaços menores porque daí demora menos pra cozinhar.
Aí você coloca:
 
  
Hondashi, kombu e tofu age.


Mas Ioney, eu não sou japa que nem você, que ser? Comofas? Ioney, preciso que você seja minha guia no mundo misterioso da comida japonesa que não seja sushi/sashimi e ilumine meu caminho em busca de impressionar as visitas. Tá bom, flor do dia, eu explico. 
Que ser?
  1. Hondashi é um pozinho de peixe pra gente colocar em caldos de cozidos e sopas.  
  2. Kombu é esse tipo de alga desidratada que a gente cozinha. Não é pra comer crua que nem nori.
  3. E tofu age é tofu frito.
 Comofas?

Eu não tenho medida pra nada disso. Ai, Ioney, mas aí fica muito difícil, como eu vou saber?

  1. Hondashi. Vai saber porque você vai começar colocando pouco pozinho, vai experimentar, sem nojo, porque não rola cozinheiro ter nojinho de comida e vai ver se o gosto de peixe tá bom pra você ou ou se quer um gosto mais forte.Aí vai ajustando.
  2. O kombu eu corto em tirinhas mais ou menos finas (mais grossas que um dedo, mas não mais grossas que dois e do comprimento aproximado do meu dedo médio).  Tem gente que reidrata antes de cozinhar. Eu não. Só corto e taco na panela. Tem gente que ãããma: o/ EUEUEUEU! Então eu taco mesmo. Montes. Só cuidado porque elas vão dãr uma crescidinha. Se puser quilos, não rola porque vai ficar aquele cozidão de alga. Mas, Ioney, essa receita tá muito assim por cima, comofas? Faz assim: tenta fazer como eu faço. Eu tento uma vez e ajusto a receita pra próxima.
  3. Tofu age pode vir em forma de cubinhos ou de bolachinhas, que nem da foto. Aí eu corto em pedaços que minha boca conseguirá conter em uma garfada e coloco por último, quando os inhames estiverem quase cozidos.
Resumindo, na ordem: inhames, tomates, água para cobrir os inhames. Shoyu (não sei se todomundo chama de shoyu,  é molho de soja) pra salgar e dar cor (experimenta pra ver se está a gosto). Hondashi. Kombu. Aí põe a coisa pra borbulhar, com tampa fechada. Quando ferver, abre a tampa e abaixa o fogo e coloca o tof age. Né muito simplinho? Também não sei o tempo de cozimento. Inhame é mais molinho que batata e não demora muito. Vou dizer aí... mais ou menos meia hora? Mas Ioney, eu fico meio assim porque, sabe, Ioney, essa receita tá com instruções muito vagas. Olha, eu te explico: quando você espetar o garfo no inhame e ver que está molinho, mas sem desfazer, está pronto. Pra acompanhar, faço gohan (arroz).

Onde tem essa coisarada? Inhame é fácil de achar. O resto dos ingredientes tem em qualquer mercado japonês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário