12.12.07

Ninguém nunca me chama pra memes, mas eu faço mesmo assim, trezentas semanas depois dele ter começado

LIVRO DAS REVELAÇÕES

1. Pegar no livro mais próximo;
2. Abrir na página 161;
3. Procurar a 5ª frase completa;
4. Colocar a frase no blog;
5. Sem escolher a melhor frase nem o melhor livro (usar o mais próximo);
6. Passar o desafio a cinco pessoas.

He called you Queen Elizabeth.
Coupland, Douglas. Eleanor Rigby.

Except, of course, that I would never talk of "discontinuities".
De Waal, Frans. Primates and Philosophers - How Morality Evolved.

7.12.07

Beto Marc@, meu tchefe

fica feliz da vida porque eu imprimo etiqueta com endereço e colo em envelope em que outro endereço já foi impresso, pra reaproveitar. Ou porque eu faço bloco de notas com papel velho. E que eu imprima dois lados da folha, se é só pra gente ler alguma coisa aqui no escritório. Essas coisas. Mais mão-de-vaca que eu? Eu faço pelo meio-ambiente. Ele faz pra economizar mesmo.

Tô pensando no que eu vou dar pra ele de fim-de-ano. Porque ele é judeu, né?, então não é de Natal. Eu mesma só uso a data como desculpa pra dar presente. Adoro. Acho que vou dar uma tradução de Dom Casmurro, um mixed tape com música brasileira e uma foto bem bonita de São Paulo (preciso procurar no flickr ou, colegas que tiram fotos bonitas: alguma sugestã?).

6.12.07

Acabei de espremer o dedo na gaveta do arquivo

E gritei: "Putaquepariu!". Interessante é que quando a gente tem que falar com o ser amado, interagir com as pessoas e trabalhar em outra língua, a gente começa a xingar em outra língua. Ou pensar no chuveiro em outro língua. Mas essa me escapou.

Ontem de noite nevou. Desci do trem e fui andando pro ponto de encontro com o menino mais bonito do mundo. A luz batia assim, dava pra ver os floquinhos voando na minha direção. E, como a Paula, abri a boca e experimentei neve. De novo. Cheguei em casa e fui experimentar as roupas que eu comprei pela internet. Das 8 coisas que eu comprei:
  • uma veio errada (era pra ser uma camiseta azul XP com decote em vê, mas me chegou uma calça jeans cargo tamanho 6, de criança);
  • 3 camisas xadrez não serviram, apesar de eu ter medido o busto pra ver que tamanho que teriam que ser -- P; eu mexia os braços, dava pra ver dentro entre os vãos dos botões);
  • o suéter de fleece (que é a parte de dentro de moletom felpudo, só que é tudo felpudo) ficou parecendo uma caixa preta: fiquei na dúvida se era feio assim mesmo ou se eu tenho que comprar a XP);
  • o suéter verde de lã em vê é muito comprido -- as mangas estão ouquei, perfeitas, e veste muito bem, mas é compriiiiido, comprido assim que cobre a bunda e fico com perninhas ridículas, minúsculas, e não dá pra mandar consertar, porque é de lã, não dá pra pedir pra Korean lady da lavanderia pra cortar assim uns 3 dedos, porque vai desfiar; e
  • fiquei com a bolsa e com uma das camisetas que veio na cor e tamanho certos.
Passei o fim-de-semana pensando nas roupas enquanto elas viajavam numa linda sacola pelo correio. Fiquei sonhando que lindo que ia ficar a camisa com xadrezinho cor-de-rosa com o suéter verde. E a bolsa nova. E os anéis e brinquinhos que eu comprei semana passada numa promô -- leve 3, pague 2. Ou a camisa com xadrezinho azul meio aberta, com a camiseta cinza mescla por baixo, na primavera. Ontem ganhei um creminho com perfume de gardênias* (para ti). E ia ser tudo lindo e perfeito. E eu iria pra Arizona e ia ser linda e cheirosa. Aí chorei. Mulherzinhamente, chorei. Será que é porque o meu corpo que não segue os padrões estadunidenses (tenho bunda, sou baixinha, não tenho peito)? O menino mais lindo do mundo não entendeu nada. Fiquei mais triste e brava porque quem ia entender minhas decepções com a moda, minhas fashion atribulations? Vesti o tal suéter verde e ele achou que tava ótimo, no problem at all. Sendo que eu só vesti o suéter pra mostrar, ou melhor, demonstrar como minhas pernas encolhiam de repente, como ficava tão estranho. Eu tive que explicar as regras de What Not To Wear pra ele. Demonstrando com um outro pulôver que eu comprei na mesma loja, que também é comprido, mas a cor era linda, um verde bandeira, que dá pra colocar mais agasalho por baixo. Ele entendeu. Ele gostou da bolsa, mas fiquei cheia de desconfiança -- se ele não entende toda a questã com o suéter, simplesmente não compreende a razão da feiúra, da não adequação, o que me levará a crer que ele sabe que a bolsa é bonita? Enfim. Vou lá trocar ou receber meu dinheiro de volta.

Meu tchefe está com a casa em reforma e colocou todas as roupas, novas e pra doar, em sacos de lixo. Modos que, né? Não tem mais agasalho e lá se foram 3 ternos novinhos. Ele saiu agorinha pra almoçar e comprar uma jaqueta. Semana passada eu faltei e a D. perguntou pra ele onde eu estava (Tá super doente), porque eu nunca falta, sempre na hora (eu sei, ela é maravilhosa). Ele minimiza as janelinhas do browser quando eu vou na sala dele.

*E bubble bath stuff, mas a gente tem que limpar aquela banheira bem direitinho.

Arca de Noé com bichinhos brasileiros (pro nenê dos nossos roomies)





Cartões de Natal (eles viram marcadores de livro)