1.10.07

Receita de Espaguete ao Molho Curry

Gentê, tenho até vergonha. Enganei todo mundo quando disse que era uma receita. Porque é tão fácil, tão fácil, você vai ver. E vai dizer: dã, a Inhone é muito besta. Mãs, fui eu que inventei. Você vai olhar feio pra receita porque (a) eu que inventei e, tipo, quem sou eu pra inventar receita?; e (b) mistura macarrão com curry - o menino mais lindo do mundo fez cara feia, mas deu nota dez em todos os quesitos.

Espaguete ao Molho Curry (da Ioney: weeeee!) explicadinho pra crianças
(porque acho v
álido ajudar as pessoas desprovidas de prática na cozinha,
já que eu mesma achava tudo difícil, misterioso e praticamente
imposs
ível quando comecei a cozinhar)
- 1 pacote de espaguete;
- alho picadinho (uns 3 dentões);
- 1 lata de creme de leite;
- 1 lata de milho verde (lógico, milho verde tirado da espiga é mais gostoso e faz um caldinho desejável, mas aqui passou a época, modos que);
- 1 ou 2 xícaras de ervilhas frescas (pode ser congelada, mas acho que a de lata é muito doce e molenga e dá uma consistência urgui);
- 2 colheres de sopa beeeeem cheias de curry em pó, mas cheias mesmo: tipo 3 colheres cheias de curry;
- 2 pimentas vermelhas picadinhas;
- coentro picadinho (vou chutar, hein?, porque eu nunca uso medidas, vou olhando os ingredientes e coloco quanto eu acho que vai ficar bom): 1/2 xícara;
- e, lógico, sal a gosto.
Pra fazer, já viu que é a coisa mais fácil na superfície desse mundo, né? E provavelmente de outros, embora as C.N.T.P. mudem se você ficar mudando de mundo ou de altitude no mesmo mundo. Enquanto você cozinha o espaguete numa panelona, vai fazendo a outra parte. A gente não coloca sal no começo, com a água: coloca depois que água ferveu. O ponto de ebulição aumenta se a gente tacar sal, mas o macarrão pode ficar bem salgado. Pra enganar, então, as C.N.T.P. (não é, me deixa, é pressão de vapor, mas ãin, falar C.N.T.P. é tão mais legal), deixa a água ferver e aíííííí coloca sal. Ah, e outra, não se põe um fio de óleo na água do cozimento pro macarrão não ficar grudado. O que se põe é o seu olho vigiando a pasta mesmo, o que pode ser difícil se você for menino - pela minha experiência, eles tendem a fazer coisas pela metade, porque cozinhar é muito mágico, e vão assistir ao jogo de futebol/futebol americano/cricket - conforme o país de origem - na tevê.

Beleza? Tá lá cozinhando a sua pasta. É fácil, hein? Só ler as instruções no pacote. Eu geralmente não leio nada, então não sei quantos minutos leva pra ficar pronto. Vou testando, pescando uns fios aqui e ali e decido quando está bom.

Em outra panela, você refoga o alho com um fio de óleo (agora sim o fio de óleo) e coloca o milho e as ervilhas. Um pouquinho de sal, coisa muito pouca, só pra fazer água sair. Ah, se as ervilhas que você usar forem as congeladas, coloca num escorredorzinho e uma passada de água resolve o problema de pedras de gelo no meio, antes de refogar, ouquei?

Aí põe a pimenta vermelha picada (eu goixto, então ponho logo 2) e deixa lá. Uns 5 minutos. Se deixar a panela tampada, vai fazer caldinho (bem inho) mais cedo. E depois tira a tampa pra reduzir e vai testando pra ver se cozinhou. Aí você coloca o creme de leite (com soro e tudo), acerta o sal e acrescenta o curry. Mistura com muito ardor. Se achar que precisa de mais curry, vai fundo. Curry em pó varia muito e a medida que eu usei foi pro que a gente tem em casa. Ah, esqueci: pra reativar o curry, a gente coloca numa panelinha pra esquentar. Sem nada. Panelinha quente, curry, esquenta um pouco, sai um bafinho, desliga e taca na outra panela. Importante isso.

Gentê, cabô. Não é ridículo? Aí seu espaguete está pronto, porque você nunca descolou o olho da outra panela e vigiou bem. Despeja no escorredor e (a) joga água corrente; ou (b) coloca uns cubinhos de gelo no meio da massa. Pra parar de cozinhar. Ninguém quer acertar o ponto da massa quando sai da panela pra depois: surpresa!, a massa estar molenga e sem-graça porque continuou cozinhando no escorredor. Escorre bem, bem, bem. Mistura com o molho e tadá! Ah, não me vá colocar queijo ralado: não orna de jeito nenhum. Em vez de queijo ralado, você usa coentro picadinho. E pronto.

5 comentários:

  1. vou fazer, vou fazer!!

    pra mim tem que ser tudo explicadiiinho mesmo, senão eu não respeito e vou fazer tudo de qualquer jeito.

    ResponderExcluir
  2. Você tinha que fazer uma série de artigos sobre cozinha básica básica. Tipo: Como é que se corta cebola de maneira eficiente. O que significar gratinar?. Como ligar o fogão?. Ingredientes e suas propriedades (o que vai bem com manjericão?).

    &c.

    Já pensou? Seria bacana.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o Rafael.
    Tipo um livro, e na primeira capa o aviso: 'se você deixar aí e for fazer qualquer outra coisa, o treco desanda. Fica esperto'. A gente coloca o aviso na geladeira de casa quando for cozinhar ;)

    ResponderExcluir
  4. Oba, também vou fazer! Não aguento mais comer habúrguer-pizza-pão com queijo!

    E tem que ser mesmo tudo explicadinho, senão eu expludo a casa :o)

    ResponderExcluir
  5. Yara e Renata, depois me contem se gostaram.

    Rafa e Neutron, mandem pauta. O que vocês quiserem que eu explique, eu vou tentar. Posso até desenhar, pra compreensão ficar mais fácil. Rorrô.

    ResponderExcluir