11.9.07

Velhinha

Cheguei em casa ontem ontem e fiz namatamago (basicamente, arroz super quente a que se mistura ovo batido com shoyu, modos que o resultado é ovo cru com arroz) e fui ver tevê. Nada, nada de interessante, nada de bom. Não dava pra assistir, sei lá Dog Whisperer ou Meerkat Manor, minhas obsessões atuais (e que eu peço pro Ti.Vo) gravar pra mim, porque um dos roommates estava de cama na sala. Fiz um desenho da Cõrina. Pintei com lápis aquarelável e tudo. Depois ponho aqui (quando, óbvio, ninguém nem mais lembrar quem é a tal Cõrina). Mandei e-mail pra ela hoje, dizendo "tem umas revistas pra você aqui e acho que umas contas também - quer que eu guarde?"). Ainda não respondeu. Quando vi, meia-noite!, me dá aquele desespero de quem não vai descansar o suficiente.

Quando dá umas 10 da noite, eu acho que já tá na hora de ir dormir. Veja você, agora são 9:46, tô prontinha. O corpo está, mas ainda não me troquei nem fui escovar os dentes porque um dos roomies acabou de fazer um No. 2 que impede a entrada no recinto se você tiver um nariz que funciona. Acendi uma vela de canela aqui no quarto.

Hoje foi um dia chatinho no trabalho. O primeiro dia nhé desde que comecei. Todo mundo de mau humor, acabou me contagiando. Aquelas mis coisinhas que você tem que fazer mas não consegue porque as pessoas não atendem o telefone ou não retornam ligação. Fui transferir ligações, fulano grita: "Quê?", "Quem é!", não tô podendo, hein?

Cheguei em casa e não queria ir pro supermercado de jeito nenhum. Sendo que nada havia que pudesse se transformar em refeição (a janta dos desesperados tinha sido o namatamago de ontem). Tentei chantagem emocional com o menino mais lindo do bonito, mas a dele foi melhor ("quando você está doente ou cansada como eu estou hoje, eu vou no mercado..." - imagine olhinhos tristes e queixo tremendo, com biquinho). Engoli o cansaço e fui. Aí o roommate mais rico e que não compra nada pra casa me pede pra comprar toalhas de papel. Ouquei, comprei 6 rolos, porque 2 parecia muito ridica, mas também não vou comprar 8. É sério, é preciso deixar as coisas realmente acabarem pra alguém resolver. Eu sou daquelas que faz a lista antes de as coisas acabarem, tipo: tem 3 rolos de papel higiênico?, tá na lista, 2 sabonetes?, lista. Depois pediu pra comprar desinfetante, por mensagem de texto, o que muito me espantou, porque quem é que limpa alguma coisa naquela casa? Nunca vi ninguém usar nenhum produto de limpeza, tocar paninhos de chão ou aspirar mais além das 4 linhas que formam as fronteiras de seus respectivos quartos. A não ser, claro, pelo menino mais lindo do mundo e eu. Aí foi me dando bode. Sou super a favor de dividir, viva a vida comunal!, mas não tem muita graça quando a gente compra tudo - sabonete Dove, papel higiênico, toalha de papel, comidas (que eu faço pra todo mundo e não só pra mim) e etc., quando em troca a gente recebe um pack de Coca-Cola genérica (mas também não vou ser má e deixar de dizer que é meu refrigerante preferido: parece Coca-Cola diet com fórmula antiga) ou uma conta do bar em troca.

Aí fui fazer pesto. Porque era rapidão, só tacar tudo no processador, né? O menino mais lindo do mundo se ofereceu pra ajudar, e eu disse: "você está encarregado de cozinhar o espaguete". Aí a água ferve, ele coloca o espaguete lá, enquanto isso eu estou lutando com as medidas pro pesto (de espinafre, manjericão e nozes) ficar menos duro que concreto armado. Ele vai assistir tevê, lógico que não está vigiando a panela. Ele vem, cutuca lá dentro e diz: "tá pronto" e vai ver tevê de novo. Mas hein? Lógica lusitana pra cima de mim? Tirei o escorredor de dentro do armário bufandinho e, quando já tava quase pegando nas alcinhas da panela, levei o pano de prato na sala. Ah, pelamor de JC!, se o macarrão tá cozido, você não escorre?, não pega o escorredor? Duplo bode, mas bodinho. Tá doente, mas anda descalço, toma chá quente e depois chupa picolé. Ãin, cansa.

Resolvi criar um book club com os aluninhos, já estou achando que fiz besteira. Tenho que ler um livro de que eu não gostei (e que eu sugeri só pra economizar e não ter que comprar outro), mas tenho que ficar 1 hora à toa na cidade antes de ir pro Star*bucks onde a gente vai se encontrar. Ãin. Eu gosto dos aluninhos, sério!, e eles podiam ser meus próprios amiguinhos (em vez de amigos do menino mais lindo do mundo que são dele, mas não meus e que, pra ser honesta, não são as minhas pessoas preferidas no mundo), mas já tô ficando cansada de ir (sendo que o primeiro encontro é na quinta agora, nem começou a coisa).

Enfim, acho que é hora de ir dormir. Não posso nem ler outro livro legal porque quando esse acabar só vai ter livro de guerra ou de samurai ou de mistério no Japão pra ler. Boa noite.

2 comentários: