31.3.06

Fotinhas de São Paulo

Marcos, Beth e eu estamos juntos no São Paulo Daily Photo.

Se você não gostar do nosso, você vai achar um monte de linques para vários outros blogs semelhantes no mundo inteiro. Check it out.

25.3.06

Eu fico assim muito incrível

e me pergunto quais seriam as razões pelas quais as pessoas lêem blogs. Ouquei, você poderá dizer que é como ler o diário de alguém. Mas aí, quando você lê o diário de alguém, você pelo menos conhece a pessoa e sabe que não deveria estar lendo aquilo de jeito nenhum nessa terra, mas lê mesmo assim e isso faz com que você queira ler mais, e mais rápido, pro caso de alguém entrar nesse mesmo instante e pegar você no pulo fazendo coisa que não deve.

Tipo quando você acha que fumar é legal (mal sabendo que, ao aproximar-se perigosamente dos 30 você quererá parar e terá como melhores amigos os chicletinhos de nicotina que você não masca faz tempo porque fica fumando enlouquecidamente pensando nos anos que terá que enfrentar sem eles) e se tranca no quarto, etc., para que logo em seguida sua mãe bata à porta e pergunte o que você está fazendo aí e você jogue a bituca mal apagada pela janela, blahblahblah, e ela entre e pergunte por que raios você trancou a porta. Porque a sua vida não é um seriado americano, em que é normal que os filhos de dez-algo-anos tranquem as portas dos próprios quartos, como se fosse assim um outro mundo paralelo. Uma nação soberana. Chamem a ONU, por favor. O Conselho de Segurança. É preciso que as pessoas mais pobrinhas que ganham mesada ou salário merreca tenham alguma voz nesse mundo! Enfim. Eu não tenho dez-algo-anos, bem longe disso, deixa eu lhe dizer. Eu sou, pessoas, uma tiazona que não levanta a bunda dessa cadeira pra beber una cervezita porque lhe faltam forças, mas meu quarto é ainda meu país.

Mas não é o caso de ser proibido, porque quem escreve blog sabe que corre o risco de alguém ler, às vezes mais de uma pessoa, e corre o risco de topar com gente que conhece de ler por aí, e corre o risco de ficar amigo dessa pessoa, etc. Aí que eu, como a Angélica, fico olhando de onde as pessoas lêem esse blog e me perguntando sobre o porquê. Por quê? Tem uma pessoa no estado de Nova Iorque, uma em Massachusetts, outras na França, Portugal, e até Holanda. E eu realmente gostaria de saber quem são vocês e dizer um oi e dar um sorrisinho.

Então, pessoas em terras além-mar (não me desfazendo das pessoas situadas no território nacional): oi. :)

24.3.06

I heart gmail talk

7:10 PM me: só não desisto da viagem porque eu já me comprometi
saco
não estou com a MENOR vontade
7:11 PM meu, já pensou se eu morro/sofro um acidente?
daí você vai poder dizer: "É, ela disse mesmo que não queria ir".
Marcos: hahaha, já tá viajando!
7:12 PM me: porque isso não acontece
de eu não ter vontade de ir pro Rio
tipo, nunca
Marcos: então, por isso estranhei. sem vontade de ir ao rio de janeiro?
7:13 PM me: pois é
eu sempre quero
mas agora não tô com um pingo de vontade
7:14 PM Marcos: então vamos beber hoje. vamos nos divertir etc. pelo menos você... né?
vai que
(morreu feliz)
me: ha ha ha ha
quem vai contar pro [nome do mocinho], meu deus?
Marcos: e de ressaca
me: já fica com o e-mail dele
[aqui iria o e-mail do menino

7:15 PM você ficará encarregado de contar pra ele que eu morri tragicamente
cadê a madeira?
pra eu bater
Marcos: faz o texto em inglês aí, hahaha
7:16 PM bate mesmo. tem madeira pra bater num boteco legal. vamos?
me: I'm sorry I'm the one who tells you this. As you know, Ione took a trip to Rio and had an accident. Unfortunately, she passed away. She told me to e-mail you in case anything should happen to her. I'm sorry. She was a good girl.
aí você assina.
7:17 PM Marcos: hahahaha. HAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHA
she passed away
HAHAHAHA
me: uai, morri
não foi?
gente, isso dava um post

Fias da poota

Eu tenho ódeo de Carla Bruni. Tem até uma música dela em Belíssima, se você não conhece. Uma em francês? E tenho ódeo de Keren Ann também. Bonitas, lindas e que cantam bem. Vão se fu.

Se bem que eu não trocaria ser eu para ser a Carla Bruni, se isso significasse que eu teria que fazer sexo com o Mick Jagger. Coisa que ela fez. Beleza, eu tô feliz agora. Eu não sou bonita, gostosa, cheirosa, não tenho talentos artísticos, mas pelo menos. Ufa.

A vida de Amelie continua

Não é assim que eu sento aqui e já vou sendo Amelie. É preciso toda uma preparação para, certo? Então eu estou tomando vinho. E, aparentemente, pensando em inglês, porque eu fico pensando "vinho vermelho". Mas não é vermelho que eu sei, é outra coisa. Então pera.

Tinto, né? Ouquei. Tinto.

Aí tem toda uma trilha sonora, pessoal. Eu só oferecerei duas músicas.

Trois petits points, de um povo chamado Paris Combo. E Au coin du monde, de uma moça chamada Keren Ann.

Aí, pronto. Tá nublado, o mocinho está longe, tipo, eu poderia ter até uma polaroid da pessoa ao lado do anãozinho tão simpático que viaja todo o mundo de tão longe que ela está. Anny, não diga que eu não avisei. Essa semana eu já chorei e já fiquei oooonnnn e etc., e tudo de novo. E o gmail é meu melhor amigo. Ãin.

Agora que já deu tempo de você baixar as duas músicas, você colocou chinelinhos de ficar em casa? Serve meia também. Se bem que, né?, o calor. Não orna. Tááááá, pode ficar descalço(a). Eu diria pra você colocar cachecol também, mas não dá também. Porque para cima do Equador faz frio e para baixo faz um calor da pourra. Pera. Pijama. É preciso. É imperativo estar de pijama para essa experiência Amelie em sua vida. Se você gosta de chocolate, cai de boca. Eu não gosto, então eu (cof!) fumo um cigarro. Porque ambiente enfumaçado é muito França.

Tudo certo? Ouquei. Você está pronto para ver mais fotos de photo booths e mais photo booths. E, se sentir com espírito solidário, colaborar com um fun project (aliás, não dá vontade de fazer uma versão brasileira? Alguém? Comigo? hein?).

Bom fim de semana.

Então, né, só porque, bom, MarcosRS, você sabe, é só um presente pra você


Uma foto de Paris por dia


E esse filme, que aposto que você já viu.

22.3.06

Meu mundinho paralelo de Amelie Poulain

Agora é o momento em que você começa a ver coraçõezinhos por todos os lados. Ouquei? Tipo uma chuva de prata que cai sem parar, etc., para sempre amamos você, Gal.

Pra ver: Um breve ensaio sobre o amor. Fotografias antigas de pessoas quaisquer, no mundo, apaixonadas. Aw.

Pra ouvir (enquanto vê as fotos e sente apertos no peito): Things, This will be our year e porra, se você não pegou essa música ainda, faz esse favor pra mim.

Pra ler (e tentar não chorar): Quando você encontrar a menina que é 100% perfeita pra você, é melhor que você não faça como na história. Que é triste.

E, pra terminar: Fotinhos de pessoas em cabines de fotos.

Have fun, kids.

16.3.06

Paula, Paula,

eu também tenho bloglines agora! Yay!

Gentê! Agora o menina tem feed!

9.3.06

Oi, Chas

Tudo bem? Quer um beijo? Eu gosto de você. Você é bonitinho, inteligente e gostoso. E perfeito. Você é B, I, G e P.

Porque as meninas me pediram. E o que eu não faço pelas meninas?

"Cada bloguista participante tem de enunciar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do 'recrutamento'. Ademais, cada participante deve reproduzir este 'regulamento' no seu blogue." - Devo dizer que não vou pedir pra ninguém fazer a brincadeira, que eu tenho pregui.
  1. Existe uma ordem pra fazer as coisas no banho. Primeiro, sempre, o cabelo. Que leva, assim, uns 2 minutos pra ser lavado, né? As minhas tão longas madeixas (é com x?, espero que sim). Depois vai descendo e acaba no pé.
  2. Papel higiênico tem que estar sempre com a folha saindo por cima. Sempre. Eu mudo se estiver saindo por baixo. Mesmo em casas alheias.
  3. Quando eu uso fósforos, eu guardo os usados na caixa, de volta. Mas as cabecinhas queimadas ficam do lado oposto das cabecinhas novas.
  4. Sempre deixo as comidinhas mais gostosas pro final, no prato. Começo pelas comidas menos preferidas.
  5. Logo depois de travar a porta do carro, coloco o cinto de segurança. Eu posso estar dentro da garagem, eu sempre vou fazer isso. E quando eu embico o carro pra entrar na garagem do prédio, eu tiro o cinto. Nunca eu tiro dentro da garagem.

8.3.06

Vídeo da musiquinha fofa que eu amo e quase choro toda vez que ouço

Que você tem que ver. Confie em mim.

Marcos, a música é First Day of my Life, do Bright Eyes.

Esquece esse linque de cima e use esse outro aqui.

Eo BIS tá murcho.

E não tem ninguém em casa. Nem a Cuquinha. ÃIN.

Mas, gentê, faz quanto tempo que eu não escrevo?

Tipo, uma semana? Uma semana, right? E vocês nessa agonia. Eu preciso de atenção. Já disse isso? Preciso tanto. Ãin. Ó, ele veio e ficou e foi embora. E, tipo: ÃIN. Aí que eu tô lá vivendo uma vida sem TV, sem computador, a energia elétrica somente necessária para ligar o ventilador de teto e o chuveiro (ou talvez nem isso, que banho frio é bom) e vocês nessa angústia. Gentê, queria não. Queria não vir aqui e escrever. Né? Toda uma gama de coisas pra se fazer se não exisitsse o computador. Mas sem ele, né, gentê? Eu não tinha que ter ido a GRU e mesmo GRU sendo foda, ainda assim pode ser no sentido bom ou ruim da palavra.

Gentê, sabe o que é banho frio? GRU, gentê. GRU é. Fiquei só lembrando de Simplesmente Amor e pensando, mas como?, como que lá só aparecem as pessoas se abraçando felizes, todos os reencontros da vida, etc.? Porque daí eu saí chorando de lá e as pessoas todas me olhando de viés e fiquei procurando meu carro no estacionamento, e a chuva, gentê. Não lembrava mais se o carro estava no setor A2 ou A6. Achava que era o A6, mas mesmo assim fiquei uns minutos andando ali com cara de desesperada, do tipo, fodeu, vou ter que andar de motoca com um tiozinho do estacionamento e enxugar ranho de nariz chorado na roupinha semi-impermeável de referido motoqueiro, também funcionário do estacionamento em GRU.

Mas aí nem. Eu fui pro setor certo e, de repente, ele estava lá. O carro, porque ele mesmo estava passando pela receita federal, imagino. Aí eu fui lá na coisinha de colocar o tíquete, né? E um vovozinho lá pra ajudar a colcoar o tíquete. Que olha pra minha cara chorada e diz: "Quem foi, volta". Aí caiu mais chuva ainda e eu não via mais nada e resolvi ir atrás de um caminhão, e eu não via mais nada, gentê, porque estava com os olhos chorados, do tipo, a tarde inteira e mais um pouco chorados e ainda a chuva e o coiso do pára-brisa que tem 7 anos de idade. Aí, gentê, um monte de coisa na pista e eu devagarzinho, devagarzinho mesmo, a uns 60 por hora, e gentê, uma pessoa deitada no meio da pista, será que ela tinha morrido? Na chuva? Mas aí já tinha toda uma multidão pra socorrer a pessoa, de quem eu desviei na hora agá. Gentê, foi muito estranho tudo. Imagina a escuridão completa e aí, uns metros pra frente, um corpo, sob a luz de seus faróis. E você. No seu carro. Chorada. Pensando em GRU, no velhinho do tíquete, em aviões, etc. Medo.

Eu comi brigadeiro que a Nerda fez pra mim, gentê. Porque eu não gosto de doce, nem de chocolate, mas eu precisava muito. Aí hoje eu já peguei 2 BIS, gentê. E eu não gosto de chocolate. ÃIN.

Vai, mas uma vez, em bonito coro: ÃIN.