8.3.06

Mas, gentê, faz quanto tempo que eu não escrevo?

Tipo, uma semana? Uma semana, right? E vocês nessa agonia. Eu preciso de atenção. Já disse isso? Preciso tanto. Ãin. Ó, ele veio e ficou e foi embora. E, tipo: ÃIN. Aí que eu tô lá vivendo uma vida sem TV, sem computador, a energia elétrica somente necessária para ligar o ventilador de teto e o chuveiro (ou talvez nem isso, que banho frio é bom) e vocês nessa angústia. Gentê, queria não. Queria não vir aqui e escrever. Né? Toda uma gama de coisas pra se fazer se não exisitsse o computador. Mas sem ele, né, gentê? Eu não tinha que ter ido a GRU e mesmo GRU sendo foda, ainda assim pode ser no sentido bom ou ruim da palavra.

Gentê, sabe o que é banho frio? GRU, gentê. GRU é. Fiquei só lembrando de Simplesmente Amor e pensando, mas como?, como que lá só aparecem as pessoas se abraçando felizes, todos os reencontros da vida, etc.? Porque daí eu saí chorando de lá e as pessoas todas me olhando de viés e fiquei procurando meu carro no estacionamento, e a chuva, gentê. Não lembrava mais se o carro estava no setor A2 ou A6. Achava que era o A6, mas mesmo assim fiquei uns minutos andando ali com cara de desesperada, do tipo, fodeu, vou ter que andar de motoca com um tiozinho do estacionamento e enxugar ranho de nariz chorado na roupinha semi-impermeável de referido motoqueiro, também funcionário do estacionamento em GRU.

Mas aí nem. Eu fui pro setor certo e, de repente, ele estava lá. O carro, porque ele mesmo estava passando pela receita federal, imagino. Aí eu fui lá na coisinha de colocar o tíquete, né? E um vovozinho lá pra ajudar a colcoar o tíquete. Que olha pra minha cara chorada e diz: "Quem foi, volta". Aí caiu mais chuva ainda e eu não via mais nada e resolvi ir atrás de um caminhão, e eu não via mais nada, gentê, porque estava com os olhos chorados, do tipo, a tarde inteira e mais um pouco chorados e ainda a chuva e o coiso do pára-brisa que tem 7 anos de idade. Aí, gentê, um monte de coisa na pista e eu devagarzinho, devagarzinho mesmo, a uns 60 por hora, e gentê, uma pessoa deitada no meio da pista, será que ela tinha morrido? Na chuva? Mas aí já tinha toda uma multidão pra socorrer a pessoa, de quem eu desviei na hora agá. Gentê, foi muito estranho tudo. Imagina a escuridão completa e aí, uns metros pra frente, um corpo, sob a luz de seus faróis. E você. No seu carro. Chorada. Pensando em GRU, no velhinho do tíquete, em aviões, etc. Medo.

Eu comi brigadeiro que a Nerda fez pra mim, gentê. Porque eu não gosto de doce, nem de chocolate, mas eu precisava muito. Aí hoje eu já peguei 2 BIS, gentê. E eu não gosto de chocolate. ÃIN.

Vai, mas uma vez, em bonito coro: ÃIN.

3 comentários:

  1. choremos em coro, comendo donuts, porque era isso que eu fazia quando ainda tinha que ir embora: comia donuts e chorava dentro do ônibus.

    ResponderExcluir
  2. ain.
    e a gente aqui te pentelhando tanto assim ain.
    olha só: passou?
    espero que sim, não te respondi o mail ainda, te reposndo, tives uns problemas e o curso vai ter que esperar minha grana esticar um pouco, mas, obrigada.
    eu tô chorosa tanto hoje que quase perdi o caminho de casa, e pior, mesmo que tenha um motivo eu não achei não. ain. peguei essa mania.

    ResponderExcluir
  3. Menina, não é Simplesmente amor, mas que isso tudo que você descreveu daria uma linda seqüência de um filme, isso eu tenho certeza.

    Bjs

    ResponderExcluir