16.11.05

Eu descobri também

que eu tenho muita dificuldade em aceitar mudanças. Assim, né?, eu já sabia, de velho mesmo. Desde desde, desde sempre. Por isso que fico me debatendo entre ser uma pessoa de aeroporto e ser a pessoa exótica de aeroporto, como disse a Naty. Aceitaria eu as mudanças drásticas? Tenho capacidade de dar um passo arriscado rumo ao alto e avante, a felicidade muita, quiçá?, em terras nunca d'antes navegadas? Às vezes.

Era uma vez, um ano atrás, - jesuis, lembrei disso nesse exato momento e só foi por lembrar de como eu era baleia naqueles tempos não áureos nem... como é o adjetivo para quem quer dizer "de prata"?; na falta, direi púmbleos, que eu acho a palavra estranha e feia e eu gosto, às vezes do que é estranho e feio e quero apertar muito - um ano atrás, eu pesava muitos dez quilos a mais do que eu peso hoje.

A situação é muito grave, você não sabe. Se eu emagrecer mais uns 3 quilos, eu volto a ser a pessoa que eu era aos 18 anos. Tá percebendo como isso é grave? Porque meu cabelo está mais curto e preto (depois ponho uma fota) e eu também mudei a armação dos óculos e fiquei um pouco mais cegueta também, e fiz um pouco mais de sexo, o que não foi muito difícil de acontecer considerando que aos 18 é que eu entreguei minha florzinha ao mocinho de quem eu gostava e que disse que ele nem queria mais minha florzinha porque eu era um bibelô de cristal (e eu ainda continuei amando essa pessoa por muitos anos - rá!) que ele tinha medo de quebrar. E ele disse isso num ônibus. Quando faltavam ainda muitas longas infinitas horas pra eu chegar em casa e eu engoli o choro pra não fazer papel na frente dele. Eu mudei de casa algumas vezes e ganhei a Cuca e mudei de emprego algumas vezes também. Mas se eu emagrecer uns 3 quilos, eu serei a pessoa que eu era aos 18, penso. Eu sou uma adolescente presa num corpo de uma pessoa de 28 (jesuis, quase 29).

Aí eu tenho essas calças. Eu não tenho dinheiro pra comprar calças novas, mas fiz um esforço (meu pai também fez, se é que me entende) e aí eu comprei dois pares novos de calças e as outras ficaram largas e fica aquela bundinha estranha, sabe como é?, de quem não tem com que preencher as convexidades todas. E já faz um ano isso - o que eu tinha lembrado era do pé que eu levei: ó, foi bom, confia em mim. Que as calças caem e a calcinha fica meio de fora parecendo que é de gola alta. E eu ainda não mandei apertar as calças porque, além de eu achar que é feio fazer pence, eu fiquei pensando: e se eu engordar? Eu nasci pra ser gordinha, nem sei porque eu tô assim meio magra. É muito estranho ser assim magra porque ser magra é coisa de adolescente (rá, o despeito!). Daí eu acordei e fui trabalhar e as calças caíam e eu coloquei uma camiseta meio comprida pra tapar a calcinha que ficava de fora e pensei tudo isso enquanto tomava um café e fumava um cigarrito (juro que vou parar até o ano que vem: juro).

7 comentários:

  1. Dúvida cruel: pence é com c?

    ResponderExcluir
  2. Fumar deve fazer "bem" em alguns momentos da vida, dizem muito isso para mim, não dou crédito algum. Eu nunca consegui fumar nem cigarro de chocolate, fico daqui na torcida para que você consiga deixar a fumaça de lado.

    ResponderExcluir
  3. Você tá magra e bonita, po. :)
    Ah, reiterando, ó: eu não faria o Tio Sam, juro.

    ResponderExcluir
  4. pense bem... com "s".

    pence pra apertar, com "c".

    bjo procê, totoca.

    ResponderExcluir
  5. MC, bitch, faz todo sentido. Oubrigada.

    Sophia, torça por mim.

    Giu, mostrarei minhas habilidades ninja se for preciso. Iááááááááá!!

    ResponderExcluir
  6. Agora que li este texto teu, lembrei do que eu escrevi no Diafragma, hoje, há alguns minutos atrás, antes de vir aqui te visitar. Eu tenho um pensamento semelhante em relação as mudanças drásticas, apesar de já ter me mudado de cidade por três vezes. Mas perder os nove quilos que adquiri nos 10 anos (depois dos 18) eu gostaria sim. Oh! Também torço por ti na luta contra a fumaça. Também não gosto de pence. Beijão

    ResponderExcluir
  7. argênteos, filha!
    plúmbeos é de chumbo.

    e pára de encanar que você é a comadre nipônica mais fofa que eu tenho, seja magrinha ou cheinha.

    eu também sou uma criança de 12 anos, só que presa no corpinho de quase 30...

    ResponderExcluir