10.7.05

Calças

Resolvi - e estou falando assim como se fosse algum tipo de revelação que eu tenha tido, mas não, eu já sabia desde o começo, mas algo me impedia de - que para escrever num blog não é realmente necessário que se diga algo interessante. Raramente é, não? Assim, que te importa se eu tiro fotos com a Cuca ou o quê ou se estou tomando chá e ouvindo Mozart. Nada.
Enfim. Conto agora com 4 calças para meu guarda-roupa de inverno (como se eu tivesse um guarda-roupa para cada estação, mas compreenda que não dá pra usar calça pula-brejo nesse frio, as canelas sem depilar/raspar aparecendo, não há a menor condiçã).
  1. uma jeans escura, que dobra na barra, sendo que a barra está puída, porque a calça tem vários anos de vida;
  2. uma jeans toda manchada, que está com um cheiro invencível de 'não sequei';
  3. uma que parece de rapper e que faz barulho de tchi-tchi quando eu ando;
  4. uma de lã que faz coçar a bunda - e é trágico ficar com vontade de coçar a bunda no meio da aula, na frente dos aluninhos, ou no metrô.

Sendo que todas, a partir de meia hora de uso, ficam com aquela coisa assim na bunda, parece que você fez um No. 2 e não conseguiu trocar, sabe como?, aquela protuberância que pende das nádegas, aquele vazio que sua bunda não consegue preencher. Aí você tem que botar a barriga pra frente e inflar, pra calça ficar no lugar onde deveria, porque cinto que te caiba você também não tem. Só uns grandes que não estão ajudando muito. Também não ajuda muito você ganhar o tanto de dinheiro que eu ganho por mês. Nem o fato de você não ganhar nada em julho. Nem o fato de *classified information* [insira aqui o que sua imaginação mandar], que vai fazer você gastar dinheiros proximamente sem ter de onde você tirar.

Agora eu sou assim. Não falo nada. Nem nada com nada. Aguente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário